Quantcast

Citações do Osho sobre o Sexo

Citações do Osho sobre o Sexo

Se Você Pode Tornar-se Meditativo Na Sua Vida Sexual....
 
"Segurando a mão da sua mulher ou do seu homem, por que não sentar em silêncio? Por que não fechar os olhos e sentir? Sinta a presença do outro, entre na presença do outro, deixe a presença do outro entrar em você; vibrem juntos, balancem juntos; se de repente uma grande energia possuí-los, dancem juntos – e vocês alcançarão tamanhos picos orgásticos de alegria como nunca conheceram antes. Esses picos orgásticos não têm nada a ver com sexo, na verdade têm muito a ver com silêncio.
 
E se você também conseguir ficar meditativo na sua vida sexual, se você conseguir estar em silêncio enquanto está fazendo amor, numa espécie de dança, você ficará surpreso. Você tem um processo embutido para levá-lo para a costa mais distante."
 
Osho, The Book of Wisdom, Capítulo #7
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
Quanto Mais Sexual Uma Pessoa É, Mais Inteligente É
 
"Então acontece mesmo que quanto mais sexual uma pessoa é, mais inventiva ela pode ser. Quando mais sexual uma pessoa é, mais inteligente é. Com menos energia sexual, menos inteligência existe; com mais energia sexual, mais inteligência, porque o sexo é uma procura profunda para revelar, não apenas corpos, não apenas o corpo do sexo oposto, mas também tudo que está escondido."
 
 Osho, The Ultimate Alchemy, Vol. 2, Capítulo #2
Para continuar a ler em inglês clique aqui.
 
 
O Sexo É Potencialidade
 
"Quando o amor se expressa através de você, primeiro se expressa como o corpo. Torna-se sexo. Se ele se expressa através da mente, que é mais elevada, mais profunda, mais sutil, então é chamado amor. Se se expressa através do espírito, torna-se oração....
 
Se tudo dá certo e o sexo é natural e flui, é uma experiência bonita porque você pode ter um vislumbre do segundo através dele. Se o sexo realmente se aprofunda tanto que você se esquece completamente de si mesmo nele, você pode até ter um vislumbre do terceiro através dele. E se o sexo se torna uma experiência orgástica total, há momentos raros em que você pode ter um vislumbre do quarto, o turiya, o transcendente, através dele.
 
Mas se o sexo falha, então muitas perversões acontecem à mente. Essas perversões são expressas em ódio. O ódio é uma falha do sexo, uma falha da energia do amor. A violência, desejo por dinheiro, as contínuas atitudes conflituosas dos egos: guerra, política – essas são todas perversões sexuais.
 
Um homem cujo sexo não é pervertido não pode se tornar um político. É impossível. Todos os políticos como tal precisam de terapia sexual profunda, de outro modo, toda a sua energia estará se movendo para ganhar mais e mais poder. Quando o sexo é natural, você sente poder, você não está à procura dele. Sexo é potencialidade, poder. Você o sente derramando-se em você, você não procura e não busca por ele. Mas quando você o perde, aí então surge uma grande ânsia para procurar poder: a política nasce. Então guerras, violência contínua, nascem; ódio, raiva e mil e um tipos de perversões."
 
Osho, Talking Tao, Capítulo #1
Para continuar a ler em inglês clique aqui.
 
 
O Amor Pode Dar uma Nova Alma ao Sexo
 
"O amor pode dar uma nova alma ao sexo. Depois o sexo é transfigurado, torna-se belo; já não é mais sexo, tem algo do além nele. Tornou-se uma ponte.
 
Você pode amar uma pessoa porque a pessoa satisfaz o seu sexo. Isso não é amor, apenas barganha. Você pode fazer sexo com uma pessoa porque você a ama; então o sexo segue como uma sombra, parte do amor. Então é belo; então já não é do reino animal. Então algo do além já entrou e se você continuar a amar a pessoa profundamente, pouco a pouco o sexo desaparece. A intimidade torna-se tão preenchedora, então não há mais necessidade de sexo; o amor é suficiente em si mesmo. Quando esse momento chega então há a possibilidade da reverência descer em você.
 
Quando dois amantes estão tão profundamente apaixonados que o amor é suficiente e o sexo simplesmente cessa – não que tenha sido abandonado, não que tenha sido reprimido, não. Simplesmente desapareceu da sua consciência sem deixar sequer uma cicatriz atrás; então dois amantes estão em total unidade… Porque o sexo divide; a própria palavra sexo vem de uma raíz que significa divisão. O amor une, o sexo divide. O sexo é a causa básica da divisão.
 
Quando você faz sexo com uma pessoa, uma mulher ou um homem, você pensa que ele os une. Por um momento lhe dá a ilusão de unidade e depois uma vasta divisão de repente aparece. É por isso que depois de cada ato sexual, uma frustração, uma depressão se instala. A pessoa sente-se tão distante do amado. O sexo divide, e quando o amor se aprofunda mais e mais e une cada vez mais, não há necessidade de sexo. As suas energias internas podem encontrar-se sem sexo e vocês vivem em grande unidade."
 
 Osho, Yoga: The Mystery Beyond Mind, Capítulo #8
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
O Amor É Perigoso, o Sexo Não É Perigoso
 
"As pessoas que têm medo do amor não têm medo do sexo. O amor é perigoso; o sexo não é perigoso, pode ser manipulado. Há agora muitos manuais sobre como fazê-lo. Você pode manipulá-lo – o sexo pode tornar-se uma técnica. O amor nunca pode se tornar uma técnica. Se no sexo você tentar ficar no controle, então nem o sexo o ajudará a alcançar o derradeiro. Irá até um certo ponto e você retrocederá, porque em algum lugar ele também precisa de uma rendição.
 
É por isso que o orgasmo está se tornando mais e mais difícil. A ejaculação não é orgasmo, dar à luz a crianças não é orgástico. O orgasmo é o envolvimento do corpo total: mente, corpo, alma, tudo junto. Você vibra, o seu ser completo vibra, dos pés à cabeça. Você já não está no controle; a existência tomou posse de você e você não sabe quem é. É como uma loucura, é como o sono, é como meditação, é como a morte."
 
Osho, Returning to the Source, Capítulo #10
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
O Sexo É a Fonte
 
"O sexo pode lhe dar a resposta ao que é a realidade da vida porque o sexo é a coisa mais viva em você. A mente é a coisa mais morta em você e o sexo é a coisa mais viva em você. É por isso que a mente está sempre contra o sexo e a mente está sempre suprimindo-o. Eles são inimigos. A mente é uma coisa morta e o sexo é a força vital; elas continuam lutando. E sempre que você se move em direção ao sexo, a mente se sente frustrada e a mente diz: “Isto é errado. Não se mova nessa direção de novo.
 
A mente se torna a moralizadora, a mente se torna puritana, a mente se torna o padre. A mente continua a condenar e tudo que está morto continua a condenar, e tudo o que está morto, a mente continua a adorar. E o sexo é a coisa mais viva em você porque a vida vem através dele: você nasce através dele, você pode dar à luz através dele. Onde quer que haja vida, vivacidade, o sexo é a fonte."
 
Osho, The Supreme Doctrine, Capítulo #14
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
 
Eles Não Conhecem Nenhum Outro Tipo de Homem
 
"Os psicólogos dizem que o amor não é nada mais que preliminares para o sexo. Eles estão certos – porque eles não têm um outro espécime para estudar. Eles estudam você e depois chegam à conclusão que o amor não é nada além de preliminares – apenas criar uma situação na qual o sexo pode acontecer, nada mais. Então quando o sexo aconteceu, o amor desaparece. É como quando você se sente faminto, você gravita em direção à comida e olha para a comida com olhos encantandos. Mas quando a sua fome está satisfeita, você tira os olhos da comida. Todo o encantamento se perdeu.
 
Então quando você ama a sua esposa ou o seu marido, o amor é apenas uma etiqueta para entrar no sexo – porque será demasiado rude começar... Então é como um agente lubrificante. E quando o sexo é satisfeito, o marido move-se para o seu lado da cama e adormece. Ele acabou; todo o encantamento acabou. Voltará novamente apenas quando ele sentir um tipo de fome. Os psicólogos dizem que o amor não é nada além de preliminares – apenas um maneirismo. E eles estão certos, porque não conhecem nenhum outro tipo de homem."
 
Osho, The Supreme Doctrine, Capítulo #5
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
Fenômenos Falsos acerca da Morte e do Sexo
 
“Eu disse que o homem tem medo tanto do sexo como da morte. É por isso que são tabus. Ninguém fala sobre o sexo, ninguém fala sobre a morte. Nós permanecemos em silêncio por séculos e séculos. São assuntos tabus, nem sequer devem ser mencionados. O momento em que são mencionados, algo começa a tremer dentro de nós. 
 
Parece que há uma profunda repressão. É por isso que criamos palavras substitutas. No mundo ocidental, não dizem “Estamos fazendo sexo.” Dizem “Estamos fazendo amor.” É uma palavra substituta – e falsa, porque o amor é uma dimensão totalmente diferente. Fazer sexo, não é fazer amor. O amor pode incluir sexo, mas o amor tem completamente outra qualidade.
 
Nós nunca falamos diretamente sobre a morte. Se alguém morre, nós usamos palavras substitutas. Nós dizemos que ele foi para o Pai, ou que foi para o céu. A morte nunca é encarada diretamente.
 
Nós criamos muitos fenômenos falsos em torno da morte e do sexo. Se duas pessoas vão se casar, o sexo não é sequer mencionado – e vão se casar pelo sexo! Nós criamos uma grande ilusão acerca do casamento, mas o fato nu, cru é o sexo. Nós criamos um ritual, um grande ritual de casamento, simplesmente para esconder o fato. Porquê?
 
Por que há um tabu somente sobre essas duas coisas? Elas estão profundamente relacionadas. A razão da sua relação é a seguinte: primeiro você nasce do sexo, nascimento é sexo. E o nascimento e a morte são dois pólos da mesma coisa. No nascimento, a morte está escondida. Por isso o homem se torna ciente da profunda relação entre sexo e morte. A morte não pode acontecer sem sexo, da mesma forma que o nascimento não pode acontecer sem o sexo.”
 
Osho, The New Alchemy: To Turn You On, Capítulo #24
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
Temos Medo do Sexo
 
A menos que a humanidade se torne não-repressiva em relação ao sexo, o homem não pode realmente respirar. Se a respiração desce até o abdômen, dá energia ao centro do sexo. Toca o centro do sexo; massageia o centro do sexo por dentro. O centro do sexo torna-se mais ativo, mas vivo. A civilização tem medo do sexo. Nós não deixamos as nossas crianças tocarem o seu centro do sexo, os seus órgãos sexuais. Nós dizemos, “Pára! Não toques!”
 
Olhe para uma criança quando toca primeiro o seu centro do sexo e depois diga “Pára!” e depois observe a sua respiração. Quando você diz “Pára! Não toques o teu centro do sexo!” a respiração vai se tornar imediatamente superficial – porque não é apenas a sua mão que está tocando o centro do sexo, lá no fundo a respiração está tocando o centro. E se a respiração continua a tocá-lo, é difícil parar a mão. Se a mão pára, então basicamente é necessário, é preciso que a respiração não o deve tocar, não deve ir fundo. Deve manter-se superficial.
 
Nós temos medo do sexo. A parte inferior do corpo não é apenas fisicamente inferior, tornou-se de valor inferior. É condenado como “inferior.” Por isso não vá fundo, permaneça apenas superficial. É lamentável que nós só podemos respirar para baixo. Se alguns pregadores fossem permitidos, mudariam todo o mecanismos. Eles permitiriam somente que você respirasse para cima em direção à cabeça. Então você absolutamente não sentiria o sexo.
 
Se nós quisermos criar uma humanidade sem sexo, então teremos de mudar o sistema de respiração. A respiração deve ir em direção à cabeça, para o sahasrar – o sétimo centro na cabeça – e depois voltar para a boca. Esta deve ser a passagem: da boca ao sahasrar. Não deve descer até ao fundo porque em baixo é perigoso. Quanto mais fundo você vai, mais próximo você chega das camdas mais profundas da biologia. Você alcança o centro e esse centro está mesmo perto do centro do sexo – mesmo perto. Tem de estar, porque sexo é vida.
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #3
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
Passos para o Divino
 
Por favor descreva para nós o significado spiritual da energia sexual. Como podemos sublimar e espiritualizar o sexo? É possível ter sexo, fazer amor, como uma meditação, como uma prancha de salto em direção a níveis mais elevados de consciência?
 
Outra coisa. Você usou as palavras `sexo' e `amor'. Ordinariamente nós usamos ambas as palavras como se elas tivessem uma associação interna. Elas não têm. O amor vem somente quando o sexo se foi. Antes disso, o amor é apenas uma isca, preliminaries e nada mais. Está simplesmente preparando o terreno para o ato sexual. Não é nada mais que uma introdução para o sexo, um prefácio. Então quanto mais sexo há entre duas pessoas, menos amor existirá porque então o prefácio não é necessário. Quando o sexo se torna uma meditação, ele floresce em amor e esse florescer é um movimento em direção ao divino.
 
Não sou contra o sexo e não sou a favor do amor. Você ainda deve transcendê-lo. Medite nele; transcenda-o. Por meditação quero dizer que você deve passar por ele completamente alerta, consciente. Você não deve passar por ele cegamente, insconscientemente. Grande êxtase está lá, mas você pode passar por lá cegamente e perdê-lo. A cegueira tem de ser transformada; você deve abrir os olhos. Com olhos abertos, o sexo pode levá-lo ao caminho da unidade."
 
Osho, The Psychology of the Esoteric, Capítulo #3
Para continuar a ler em inglês  clique aqui.
 
 
Crie Meditação a partir do Sexo
 
Quanto mais você vai à meditação através do sexo, menos efeito terá o sexo. A meditação crescerá dele e a partir da crescente meditação, uma nova porta se abrirá e o sexo murchará. Não será uma sublimação. Será simplesmente como folhas secas caindo de uma árvore. Da mesma forma, você nunca saberá que o desejo mecânico por sexo está se indo.
 
Crie a meditação a partir do sexo; faça do sexo um objeto de meditação. Trate-o como um templo e você o transcenderá e será transformado. Então o sexo não estará lá, mas não haverá nenhuma repressão, nenhuma sublimação. O sexo se tornará simplesmente irrelevante, sem significado. Você cresceu para além dele. Não faz mais sentido para você agora.
 
É exatamente como uma criança brincando. Agora os brinquedos não têm significado. Ela não sublimou nada; ela não reprimiu nada. Ela simplesmente cresceu; tornou-se madura. Os brinquedos já não tem sentido agora. São infantis e a criança já não é uma criança.
 
Do mesmo modo, quando mais você medita, menos apelo o sexo terá em você. E pouco a pouco, espontaneamente, sem um esforço consciente para sublimar o sexo, a energia terá uma nova fonte para onde fluir. A mesma energia que fluiu através do sexo fluirá agora através da meditação. E quando ela flui através da meditação, a porta divina está sendo aberta.
 
Osho, The Psychology of the Esoteric, Capítulo #3
Para continuar a ler em inglês   clique aqui.
 
Leia mais tópicos Osho nos Destaques do Mundo do Osho.
 
 
Para encontrar mais Citações do Osho sobre o Sexo ou qualquer outro assunto pelo qual você possa estar interessado, você pode visitar a Biblioteca Online Osho. Esta biblioteca grátis contém mais de 225 livros do Osho que podem ser lidos ou procurados por palavras-chave ou frases.