Quantcast

Citações do Osho sobre o Tantra

Citações do Osho sobre o Tantra

Tantra É a Ciência de Transformar Amantes Normais em Almas Gêmeas
 
 “No Oriente desenvolvemos uma ciência: se você não consegue encontrar uma alma gêmea, crie uma. E essa ciência é o Tantra. Encontrar uma alma gêmea significa encontrar a pessoa com a qual os seus sete chakras se encontram naturalmente. Isso é impossível. De vez em quando, um Krishna e uma Radha, um Shiva e uma Shakti. E quando isso acontece é tremendamente belo. Mas é como um raio – você não pode depender dele. Se você quer ler a sua Bíblia, você não pode depender do fato do raio estar lá para você poder ler. O raio é um fenômeno natural, mas não é seguro.
 
Se você esperar que a sua alma gêmea se encontre com você, será como esperar pelo raio com o qual vai ler a sua Bíblia. E você não conseguirá ler muito. Por um momento, ele está lá e na altura em que você abriu a Bíblia, ele se foi.
 
Portanto, o Tantra foi criado. O Tantra é uma abordagem científica. O Tantra é alquimia; pode transformar os seus centros, pode transformar os centros do outro, pode criar um ritmo e harmonia entre você e o seu amado. Essa é a beleza do Tantra. É como trazer eletricidade para a sua casa. Então você pode ligá-la e desligá-la sempre que quiser. E você pode ter mil e um usos para ela; pode arrefecer o seu quarto, pode aquecer o seu quarto. Então é um milagre. Esses sete centros em você não são nada além de centros de eletricidade do corpo. Então, quando eu estou falando sobre o raio, não pense nele somente como um símbolo – Digo isso literalmente.
 
No seu corpo há uma corrente sutil de eletricidade, muito sutil. Mas quanto mais sutil ela é, mais fundo ela vai. Não é muito visível. Os cientistas dizem que se juntarmos toda a eletricidade que está no seu corpo, pode ser usada para acender uma lâmpada de cinco velas. Não é muito. Quantitativamente não é muito, quantitativamente o átomo não é muito, mas qualitativamente... Se explode, tem uma tremenda energia nele. 
 
Esses sete centros, o Yoga e o Tantra têm falado destes sete centros há eras, não são nada além de cinco nós na corrente elétrica do seu corpo. Podem ser mudados; podem ser reajustados. Podem ser dados um novo formato, uma nova forma. Dois amantes podem ser transformados tanto que os seus sete centros podem começar a encontrar-se.
 
O Tantra é a ciência de transformar amantes normais em almas gêmeas. E essa é a grandeza do Tantra. Pode transformar toda a terra; pode transformar todos os casais em almas gêmeas.” 
 
Osho, Philosophia Perennis, Vol. 1, Capítulo #8
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
Você Deve Absorver o Espírito do Tantra
 
“Quando estiver fazendo amor, não controle. Vá ao descontrole, vá ao caos. Será temeroso, assustador, porque será um novo tipo de morte. E a mente dirá “Controle!” E a mente dirá, “Volte e mantenha o controle, senão você se perderá no abismo.” Não escute a mente, perca-se. Abandone-se completamente e sem qualquer técnica você verá uma experiência atemporal. Não haverá dois nela: unidade. Uma consciência estará lá, uma consciência lúcida passiva estará lá, você saberá o que está acontecendo porque você estará completamente ciente. Mas você não estará lá; a consciência estará lá.
 
Você deve absorver o espírito do Tantra – não é uma técnica a ser absorvida.” 
 
Osho, This Very Body the Buddha, Vol. 1, Capítulo #8
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Que É Sexo Tântrico
 
“O Tantra é um caminho natural para Deus, o caminho normal para Deus. O objeto é tornar-se tão instintivo, tão sem-mente que nos fundimos com a derradeira natureza – que a mulher desaparece e se torna uma porta para o derradeiro, que o homem desaparece e se torna uma porta para o derradeiro.
 
Essa é a definição tântrica da nossa sexualidade; o retorno à inocência absoluta, a unidade absoluta. A maior excitação sexual de todas não é uma busca por excitações, mas sim um esperar silencioso – completamente relaxado, completamente sem-mente. A pessoa está consciente, consciente apenas de estar consciente. A pessoa é consciência. A pessoa está contente, mas não há conteúdo nisso. E então há uma grande beleza, grande benção.
 
O interrogador pergunta: “O que é sexo tântrico…um sexo que é meditação baseada em certas técnicas?”
 
Se você estiver muito orientado em técnicas, perderá o mistério do Tantra. É Pseudo-Tantra que é baseado em técnicas porque se as técnicas estão lá, o ego estará lá, controlando. Então você estará fazendo isso – e fazer é o problema, fazer traz o fazedor. O Tantra tem de ser um não-fazer; não pode ser técnico. Você pode aprender técnicas – você pode aprender uma certa respiração para que o coito se prolongue. Se você respirar muito, muito lentamente, se você respirar sem nenhuma pressa, então o coito se prolongará, mas você está controlando. Não será selvagem e não será inocente e também não será meditação. Será a mente – como pode ser meditação? A mente estará controlando. Você nem sequer pode respirar rapidamente, você tem que continuar respirando lentamente – se a respiração é lenta, então a ejaculação levará mais tempo, porque para a ejaculação acontecer a respiração tem de ser rápida e caótica. Ora, isto é técnica, mas não Tantra.
 
O verdadeiro Tantra não é técnica, mas amor. Não é técnica, mas oração. Não é orientada pela cabeça, mas um relaxamento no coração. Por favor lembre-se disso. Muitos livros foram escritos sobre o Tantra, todos eles falam sobre técnicas, mas o verdadeiro Tantra não tem nada a ver com técnica. O verdadeiro Tantra não tem nada a ver com técnica. Não se pode escrever sobre o verdadeiro Tantra. O verdadeiro tem de ser absorvido. Como absorver o verdadeiro Tantra? Você terá de transformar toda a sua abordagem.
 
Ore com a sua mulher, cante com a sua mulher, brinque com a sua mulher, dance com a sua mulher, sem idéia de sexo. Não continue a pensar, “Quando é que vamos à cama?” Esqueça isso. Faça algo diferente e perca-se nisso. E um dia o amor vai surgir a partir desse estado de estar perdido, de repente você verá que está fazendo amor e você não está fazendo. Está acontecendo, você está possuído por ele. Então você terá a sua primeira experiência Tantra – possuído por algo maior que você. Vocês estavam dançando ou cantando juntos ou estavam orando juntos ou meditando juntos e repentinamente descobrem que ambos se moveram para um novo espaço. E vocês não sabem quando começaram a fazer amor; você também não se lembra. Então está sendo possuído pela energia do Tantra. E pela primeira vez você verá uma experiência não técnica.” 
 
Osho, This Very Body the Buddha, Vol. 1, Capítulo #8
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Confia em Você – Totalmente
 
“Esta visão do Tantra é uma das maiores visões alguma vez sonhada por um homem: uma religião sem o padre, uma religião sem o templo, uma religião sem a organização; uma religião que não destrói o indivíduo, mas sim respeita o indivíduo tremendamente, uma religião que confia no homem e mulher comuns. E essa confiança vai muito fundo. O Tantra confia no seu corpo; nenhuma outra religião confia no seu corpo. E quando as religiões não confiam no seu corpo, elas criam uma divisão entre você e o seu corpo. Elas tornam vocês inimigos dos seus corpos, elas começam a destruir a sabedoria do corpo. 
 
O Tantra confia no seu corpo. O Tantra confia nos seus sentidos. O Tantra confia na sua energia. O Tantra confia em você – totalmente. O Tantra não nega nada, mas transforma tudo. 
 
Como obter essa visão do Tantra? Este é o mapa para ligá-lo, e para virá-lo para dentro e para virá-lo para o além.
 
A primeira coisa é o corpo. O corpo é a sua base, o seu terreno, é onde você está enraizado. Torná-lo antagonista em relação ao seu corpo é destruir você, é tornar você esquizofrênico, é tornar você miserável, é criar o inferno. Você é o corpo. Claro que você é mais que o corpo, mas o 'mais' seguirá mais tarde. Primeiro, você é o corpo. O corpo é a sua verdade básica, então nunca seja contra o corpo. Sempre que você está contra o corpo, você está indo contra Deus. Sempre que você desrespeita o seu corpo, você está perdendo contacto com a realidade, porque o seu corpo é o seu contato, o seu corpo é a sua ponte. O seu corpo é o seu templo. 
 
O Tantra ensina reverência pelo corpo, amor, respeito pelo seu corpo, gratidão pelo seu corpo. O corpo é maravilhoso, é o maior dos mistérios." 
 
Osho, Tantric Transformation, Capítulo #7
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Diz, Primeiro Purifique o Corpo
 
"O Tantra diz, primeiro purifique o corpo – purifique-o de todas as repressões. Permita que a energia do corpo flua, remova os bloqueios. É muito difícil encontrar uma pessoa que não tenha bloqueios, é muito difícil encontrar uma pessoa cujo corpo não esteja tenso. Solte esse aperto, essa tensão está bloqueando a sua energia, o fluxo não pode ser possível com esta tensão. Porque é que todo o mundo está tão tenso? Porque é que você não consegue relaxar? Já viu um gato dormindo, cochilando de tarde? O quão simplesmente e lindamente o gato relaxa. Você não consegue da mesma forma: Você vira e se revira na sua cama; você não consegue relaxar. E a beleza do relaxamento do gato é que ele relaxa totalmente e ainda assim está perfeitamente alerta. Um movimento ligeiro no quarto e ele abre os olhos, ele saltará e estará pronto. Não é que esteja adormecido. O sono do gato é algo a ser aprendido, o homem se esqueceu. 
 
O Tantra diz: Aprenda dos gatos – como eles dormem, como eles relaxam, como eles vivem de um modo não tenso. O homem tem que aprender isso, porque o homem foi condicionado erradamente, o homem foi programado erradamente." 
 
Osho, Tantric Transformation, Capítulo #7
 
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Não É uma Filosofia
 
"O Tantra não é uma filosofia, o Tantra é absolutamente existencial, não falo do existencialismo de Sartre, Camus, Marcel, e outros. Esse existencialismo é mais uma vez uma filosofia, uma filosofia da existência, mas não do modo Tantra. E a diferença é vasta. 
 
Os filósofos existenciais no Ocidente só tropeçaram no negativo: angústia, angst, depressão, tristeza, desesperança, falta de sentido, falta de propósito – todos os negativos. O Tantra tropeçou em tudo que é belo, alegre, extático. O Tantra diz: A existência é um orgasmo, um orgasmo eterno que continua e continua e continua. É para sempre um orgasmo, um êxtase.
 
Eles devem estar movendo-se em direções diferentes. O Sartre fica sempre pensando existência. O Tantra diz: Pensar não é a porta. Não leva a lugar nenhum, é um beco sem saída; só lhe traz uma situação sem solução. Filosofia é formidável – se você estiver apenas brincando, então a filosofia é formidável; você pode fazer tempestade em copo de água e desfrutar do passeio... 
 
A Filosofia provou ser um dos esforços mais fúteis... mas ainda assim o homem continua, sabendo perfeitamente bem que ela nunca traz nada. Por quê? Porque continua prometendo, mas nunca traz nada. Então porque é que o homem continua com esse esforço? É barato. Não requer envolvimento, não é um compromisso. Você pode sentar na sua cadeira e continuar a pensar. É um sonho. Não requer que você mude para ver a realidade.
 
É aí a coragem é necessária, coragem aventureira é necessária. Para conhecer a verdade, você está se movendo na maior aventura que existe. Você pode estar perdido, quem sabe? Você pode nunca voltar, quem sabe? Ou pode voltar completamente mudado e quem sabe se será para o melhor ou não?"
 
Osho, Tantric Transformation, Capítulo #9
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
Saraha É o Fundador do Tantra
 
"Saraha nasceu cerca de dois séculos depois de Buda; ele estava na linhagem direta de um ramo diferente. Um ramo desce de Mahakashyapa até Bodhidharma, e o Zen nasce – e ainda está cheio de flores, esse ramo. Um outro ramo move-se de Buda até o seu filho, Rahul Bhadra, e de Rahul Bhadra até Sri Kirti, e de Sri Kirti até Saraha, e de Saraha até Nagarjuna – esse é o ramo do Tantra. Ainda está dando frutos no Tibete. O Tantra converteu o Tibete, e Saraha é o fundador do Tantra tal como Bodhidharma é o fundador do Zen. Bodhidharma conquistou a China, Coréia, Japão; Saraha conquistou o Tibete. 
 
Essas canções de Saraha são de grande beleza. Elas são a própria fundação do Tantra. Você primeiro terá de compreender a atitude do Tantra em relação à vida, à visão do Tantra. A coisa mais básica sobre o Tantra é esta – e muito radical, revolucionária, rebelde – a visão básica é que o mundo não está dividido em inferior e superior, mas que o mundo é um pedaço. O superior e o inferior estão de mãos dadas. O superior inclui o inferior e o inferior inclui o superior. O superior está escondido no inferior – então o inferior não tem de ser negado, não tem de ser condenado, não tem de ser destruído nem morto. O inferior deve ser transformado. O inferior tem de ser permitido a mover-se para cima...e o inferior torna-se o superior. Não há uma lacuna intransponível entre o diabo e Deus: o diabo está carregando Deus no fundo do seu coração. Uma vez que esse coração começa a funcionar, o diabo torna-se Deus. 
 
Essa é a razão pela qual a própria raiz da palavra diabo significa o mesmo que divino. A palavra diabo vem de divino; é o divino ainda não evoluído, só isso."
 
Osho, The Tantra Experience, Capítulo #1
 
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
Samadhi e Sexo São Ambos Expressões da Mesma Energia
 
"O Tao tem o seu próprio Tantra. A primeira coisa: O Tao nunca divide em inferior e superior, essa é a beleza dele. O momento que você divide a realidade em inferior e superior, você está se tornando esquizofrênico. O momento que você diz que algo é sagrado e algo é profano, você divide. O momento que você diz que algo é material e algo é espiritual, você dividiu, você separou a realidade. A realidade é uma. Ela expressa-se de várias formas: num nível como matéria, no outro nível como espiritual. O espiritual não é superior e o material não é o inferior – eles estão no mesmo nível. Essa é a atitude taoísta. A vida é uma. A existência é uma. É uma unicidade tremenda e não há avaliação.
 
A primeira coisa a abandonar no Tao é a dualidade. O sexo não é inferior e o samadhi não é superior. O samadhi e o sexo são duas expressões da mesma energia. Não há nada louvável sobre o samadhi e não há nada condenável sobre o sexo. A aceitação do Tao é total, absoluta. Não há nada errado com o corpo e não há nada de belo em relação ao espírito – ambos são belos. O diabo e Deus são um no Tao, céu e inferno são um no Tao, o bem e o mal são um no Tao – é a maior compreensão não-dualista. Não há condenação nem preparação. Preparar-se para quê: A pessoa simplesmente tem que relaxar e ser."
 
Osho, Tao: The Pathless Path, Vol. 2, Capítulo #4
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
Do Sexo ao Tantra: uma Grande Revolução
 
"Agora, uma coisa deve ser sempre lembrada: se você não está muito alerta, pode continuar a acreditar que se está movendo para o Tantra e pode estar simplesmente racionalizando a sua sexualidade – pode ser nada mais que sexo, mas racionalizado na terminologia do Tantra. Se você se move no sexo com consciência, ele pode se transformar em Tantra. Se você se move para o Tantra inconscientemente, ele pode cair e tornar-se sexo comum. Aconteceu na Índia – porque só a Índia tentou. 
 
Todas as escolas de Tantra na Índia, mais cedo ou mais tarde, foram reduzidas a orgias sexuais. É muito difícil tornar-se consciente... é quase impossível tornar-se consciente. Se desde o princípio a disciplina não se aprofundou muito em você, há toda a possibilidade de você começar a enganar-se. As escolas de Tantra surgiram na Índia com grande energia, com grande insight. E elas tinham algo – porque esse é o último centro humanamente disponível: o sétimo é o super-humano, o sétimo é divino. O sexto é o centro espiritual. 
 
Do sexo ao Tantra: uma grande revolução, uma mutação, é possível no homem, E no Oriente, as pessoas tornaram-se cientes que se você se tornar meditativo enquanto faz amor, a qualidade do sexo muda e algo novo entra nele – torna-se tântrico, torna-se reverente, torna-se meditativo... torna-se." 
 
Osho, The Divine Melody, Capítulo #6
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Usa o Sexo para Se Elevar Mais que Ele
 
“Tantra usa o sexo para se elevar mais que ele, mas usa-o. O sexo torna-se instrumental. Os Bauls dizem que isso não é muito respeitoso: “Como é que você pode usar alguma energia? Como é que você pode usar energia como um meio?” Eles não usam o sexo como um meio; eles deleitam-se nele, eles desfrutam dele. Eles fazem um culto a partir dele, mas sem nenhuma técnica. Não é tecnológico. Eles amam-no, e através do amor a transformação acontece por si só. 
 
No Tantra, você  permanece desapegado. Mesmo enquanto usa o sexo como um meio de ir em direção ao samadhi, você deve permanecer desapegado ao sexo, absolutamente neutro, absolutamente como um observador, uma testemunha, mesmo como um cientista trabalhando no seu laboratório. Na verdade, os tântricos dizem que as técnicas do Tantra não podem ser usadas com a mulher que você ama, porque o amor será um distúrbio. Você estará demasiado apegado. Você não conseguirá permanecer desapegado e fora dele. Então os tântricos encontrarão mulheres com quem não estão apaixonados de forma nenhuma para que a atitude possa permanecer absolutamente a do observador.” 
 
Osho, The Beloved, Vol. 1, Capítulo #1
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
Com o Tantra, Fácil Está Certo
 
"O Tantra é o modo natural; o relaxado e o natural são a meta. Você não precisa lutar contra a corrente; simplesmente mova-se com ela, flutue com ela. O rio está indo ao mar, então porque lutar? Mova-se com o rio, torne-se um com o rio: renda-se. Rendição é a palavra-chave para o Tantra; força de vontade é a palavra-chave para o Yoga. O Yoga é o caminho da força de vontade; O Tantra é o caminho da rendição. 
 
É por isso que o Tantra é o caminho do amor – amor é rendição. Essa é a primeira coisa a entender; então as palavras de Tipola tornar-se-ão muito, muito cristalinas. A dimensão diferente do tantra deve ser entendida – a dimensão vertical, a dimensão da rendição, da não-luta, de ser solto e natural, relaxado – o que Chuang Tzu chama, "Fácil está certo." Como Yoga, difícil está certo; com o Tantra, fácil está certo. 
 
Relaxe e esteja à vontade, não há pressa. O todo em si está levando-o por sua própria iniciativa. Você não precisa fazer nenhuma luta individual, não lhe é pedido que alcance antes da sua hora, você alcançará quando o tempo chegar – espere simplesmente. O todo está se movendo; porque é que você está com pressa? Porque é que quer alcançar antes dos outros?" 
 
Osho, Tantra: The Supreme Understanding, Capítulo #6
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
A Energia do Sexo Não É Nada Além de Energia Divina
 
“O Cristianismo entende o sexo como sendo uma queda, e o Tantra pensa no sexo como sendo a resposta certa. O Cristianismo e o Tantra são apenas opostos um ao outro. Não apenas o Cristianismo; o Jainismo e outras religiões são também opostas ao sexo. Elas são opostas por uma razão. A razão é a possibilidade de cinqüenta por cento de cair. É perigoso.
 
Então tente viajar de outra forma onde essa queda de cinqüenta por cento não é uma possibilidade. E são matematicamente cinqüenta por cento. Na verdade são noventa e nove por cento, porque o sexo é uma tamanha atração e o sexo é uma força inconsciente que é difícil permanecer alerta, meditativo. Ao experimentar nele, você ficará inconsciente. E se você fica inconsciente no orgasmo ele não leva a lugar algum. 
 
Noventa e nove por cento é a possibilidade de você cair através do sexo. Somente um por cento é a possibilidade de você se elevar. Mas o Tantra diz que essa percentagem de queda pode ser reduzida através técnicas corretas e um homem e uma mulher podem ser treinados. Então fazer amor torna-se uma arte – a maior arte. E se você conhece a arte, então você se aproxima muito cuidadosamente, muito delicadamente. E então não é apenas uma libertação temporária, um alívio; Torna-se um culto sagrado…
 
 O sexo pode dar-lhe a resposta e se você se tornou demasiado intelectual, então só o sexo pode lhe dar a resposta. Qualquer era intelectual terá de perguntar através do sexo. Se você se moveu demasiado na cabeça, você terá de cair de novo no outro extremo. Somente aí os teus dois opostos se encontram e se tornam uma unidade…
 
Através da experiência sexual profunda, experiência sexual meditativa, você ficará sabendo que essa energia sexual não é nada além de energia divina. Então o sexo torna-se samadhi.” 
 
Osho, The Supreme Doctrine, Capítulo #14
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Não É uma Religião
 
"O Tantra não é uma religião porque religião basicamente significa: a favor do divino contra o animal – então toda a religião é parte do conflito. O Tantra não é uma técnica de luta, é uma técnica de transcendência. Não é uma luta contra o animal, não é a favor do divino. É contra toda a dualidade. Na verdade não é nem contra nem a favor. Está simplesmente criando uma terceira força dentro de você, um terceiro centro de existência onde você não é nem animal, nem divino. Para o Tantra o terceiro ponto é advait, esse terceiro ponto é não-dualidade. O Tantra diz que você não consegue alcançar a unidade lutando através da dualidade. Você não pode chegar a um ponto não-dual escolhendo uma coisa na luta da dualidade. A escolha não o levará para a unidade; apenas um testemunhar sem escolha. 
 
Essa é a própria fundação do Tantra, e por causa disso o Tantra nunca foi corretamente entendido. Sofreu um mal-entendido longo, de séculos, porque no momento que o Tantra diz que não é contra o animal, você começa a pensar que Tantra é a favor do animal, você então começa a pensar que o tantra é contra o divino. Na realidade, o Tantra é a favor do testemunhar sem escolha. Não esteja com o animal, não esteja com o divino e não crie um conflito. Apenas retorne, afaste-se, apenas crie uma lacuna entre você e essa dualidade e torne-se uma terceira força, um testemunhar, de onde você pode ver o animal e o divino." 
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #59
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Diz Que Sexo É Sexo
 
"Há ensinamentos baseados no celibato – brahmacharya. Eles dizem que brahmacharya é bom, sexo é mau. O Tantra diz que sexo é sexo, brahmacharya é brahmacharya. Alguém é um brahmachari e alguém não é. Mas esses são simples fatos, não há valores ligados a eles. E o Tantra nunca dirá que brahmacharya é bom – o celibato é bom – e que o que está no sexo é mau. O Tantra não dirá isso. O Tantra aceita as coisas como elas são. E porquê? Apenas para criar uma unidade dentro de você. 
 
Esta é uma técnica para criar uma unidade dentro de você, para ter uma existência total no interior, não dividida, não-conflituosa, não oposta. Apenas então o silêncio é possível. Alguém que está tentando mover-se para um espaço contra algo nunca poderá estar em paz. Como pode estar: E alguém que está dividido dentro de si, lutando contra si mesmo, como é que pode ganhar? É impossível. Você é ambos, então quem vai ganhar? Ninguém ganhará e você estará perdendo porque dissipará a sua energia lutando desnecessariamente. Esta é uma técnica para criar unidade em você. Permita que os vales desapareçam; não julgue." 
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #41
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Começa com o Início
 
“O Tantra diz, o sexo é muito profundo porque é vida. Mas você pode estar interessado no Tantra pelas razões erradas. Não esteja interessado no tantra pelas razões erradas e então você não sentirá que o Tantra é perigoso. Então o Tantra é a vida se transformando…
 
Perguntou-se, “Qual é o assunto de discussão central do Tantra?” A resposta é você! Você é o assunto de discussão central do Tantra: o que você é agora e o que está escondido em você que pode crescer, o que você é e o que você pode se ser. Neste momento você é uma unidade sexual e a menos que esta unidade seja entendida profundamente você não pode se tornar um espírito, você não pode se tornar uma unidade espiritual. A sexualidade e a espiritualidade são duas extremidades de uma energia. 
 
O Yoga começa com o fim; o Tantra começa com o início. E é bom começar com o início. É sempre bom começar com o início, porque se o fim é feito de início, então você está criando infelicidade desnecessária para você mesmo. Você não é o fim – não é o ideal. Você tem que se tornar um deus, o ideal, e você é apenas um animal. E este animal perde as estribeiras por causa do ideal de deus; enlouquece, fica maluco. 
 
O Tantra diz, esquece o deus. Se você é o animal, entenda esse animal na sua totalidade. Nesse próprio entender, o deus crescerá. E se ele não consegue crescer através do entendimento, então o esqueça, ele nunca pode ser. Os ideais não podem trazer as suas possibilidades para fora; somente o conhecimento do real ajudará. Portanto, você é o assunto central do Tantra, como você é e como você pode se tornar, a sua realidade e a sua possibilidade – estes são o assunto de discussão. 
 
Às vezes as pessoas se preocupam. Se você vai para perceber o Tantra, Deus não é discutido, moksha – libertação – não é discutido, nirvana não é discutido. Que tipo de religião é o Tantra? O Tantra discute coisas que o fazem sentir-se enjoado, que você não quer discutir. Quem quer discutir sexo? Todo o mundo pensa nisso. Porque você pode reproduzir, você pensa que sabe… 
 
Ninguém quer discutir sexo e o sexo é problema de todo o mundo. Ninguém quer discutir amor porque todo o mundo acha que já é um grande amante. E olhe para a sua vida! É apenas ódio e nada mais. E seja lá o que você chama de amor não é nada mais que um relaxamento, um pequeno relaxamento, do ódio. Olhe à volta de você, e então você saberá o que você sabe sobre o amor." 
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #32
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Diz, Conheça o Corpo
 
"Então aquelas tradições que são contra o sexo serão contra o corpo. Aquelas tradições que não são contra o sexo só podem ser amigáveis em relação ao corpo. O Tantra é absolutamente amigável, e o Tantra diz que o corpo é sagrado, santo. Para o tantra, condenar o corpo é sacrilégio. Dizer que o corpo é impuro ou dizer que o corpo é pecado é besteira para o Tantra – um ensinamento muito venenoso. O Tantra aceita o corpo – não apenas o aceita como também diz que  o corpo é santo, puro, inocente. Você pode usá-lo e pode fazer dele um veículo, um meio para ir além! Ajuda até a ir além. 
 
Mas se você começar a lutar com o corpo, você está perdido. Se você começar com ele, você tornar-se-á cada vez mais doente. E se você continuar a lutar com ele, você perderá uma oportunidade. Lutar é negativo; o Tantra é uma transformação positiva. Não lute com ele – não há necessidade. É como se você estivesse sentado num carro e você começasse a lutar com o carro. Então você não consegue se mover porque você está lutando com o veículo – que deve ser usado, não combatido. E você destruirá o carro com a sua luta e depois será cada vez mais difícil de se mover. 
 
O corpo é um belo veículo – muito misterioso, muito complexo. Use-o, não lute com ele. Ajude-o. O momento em que você vai contra ele, você está indo contra você mesmo. É como se um homem quisesse alcançar um lugar, mas ele luta contra as suas próprias pernas e as corta. O Tantra diz, conheça o corpo e conheça os segredos dele. Conheça as energias dele e conheça como essas energias podem ser transformadas – como elas podem ser movidas e transformadas em outras dimensões. 
 
Por exemplo, pegue no sexo, que é a energia básica no seu corpo. Ordinariamente, a energia do sexo é apenas usada para a reprodução. Um corpo cria outro corpo e assim por diante. A utilidade biológica da energia do sexo está apenas na reprodução. Mas esse é apenas um dos usos, e o mais inferior. Sem insinuação de condenação, mas é mais inferior. A mesma energia pode fazer também outros atos criativos. A reprodução é um ato criativo básico – você cria algo. É por isso que a mulher sente um bem-estar sutil quando se torna mãe: ela criou algo…
 
O Tantra não tem condenações, apenas técnicas secretas de como transformar. É por isso que o Tantra fala tanto sobre o corpo – ele é necessário. O corpo tem de ser compreendido e você só pode começar de onde você está." 
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #20
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
 
O Tantra Aceita Tudo
 
"O Tantra aceita tudo. Seja o que for, é aceito de todo o coração. É por isso que o Tantra pôde aceitar o sexo totalmente. Por cinco mil alunos, o Tantra tem sido a única tradição que aceitou o sexo totalmente, a única em todo o mundo. Porquê? Porque o sexo é o ponto onde você está e qualquer movimento vai ser a partir do ponto onde você está. 
 
Você está no centro sexual; a sua energia está no centro sexual. E a partir desse ponto, ela deve se mover para cima, muito além. Se você rejeitar o próprio centro, então você pode continuar se enganando que você está se movendo, mas você não pode se mover. Então você está rejeitando o único ponto onde o movimento é possível. Então o Tantra aceita o corpo, aceita o sexo, aceita tudo. E o Tantra diz, a sabedoria aceita tudo e transforma tudo; somente a ignorância rejeita. Somente a ignorância rejeita – a sabedoria aceita tudo. Mesmo um veneno pode se tornar um medicamento, mas apenas através da sabedoria. 
 
O corpo pode se tornar um veículo para aquilo que está para além do corpo e a energia do sexo pode se tornar uma força espiritual."
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #20
Para continuar lendo em inglês   clique aqui
 
 
 
O Tantra Diz, Aceite Seja Lá o Que Você For
 
"O Tantra diz, aceite seja o que você for. Você é um grande mistério de muitas energias multidimensionais. Aceite isso e mova-se com todas as energias com profunda sensibilidade, com consciência, com amor, com compreensão. Mova-se com isso! Então todo o desejo se torna um veículo para ir além. Então toda a energia se torna uma ajuda. E então este mesmo mundo é nirvana, este mesmo corpo é um templo – um templo sagrado, um lugar sagrado. 
 
Yoga é negação; Tantra é afirmação. O Yoga pensa em termos de dualidade – essa é a razão para a palavra yoga. Significa, juntar duas coisas, "yoke-ar" duas coisas. Mas duas coisas estão aí; a dualidade está aí. O Tantra diz que não há dualidade. Se há dualidade, então você não as pode juntar. E independentemente de quanto você as juntar, elas continuarão duas e a luta continuará, o dualismo permanecerá.
 
Se o mundo e o divino são dois, então não podem ser unidos. Se na verdade eles não são dois, se apenas parecem dois, então eles podem ser um. Se o seu corpo e a sua alma são dois, então não podem ser unidos. Se você e Deus são dois, então não há possibilidade de uni-los. Eles continuarão dois. 
 
O Tantra diz que não há dualidade; é apenas uma aparência. Então porque ajudar a aparência se fortalecer? O Tantra pergunta, porque ajudar essa aparência de dualidade se fortalecer? Dissolva-a neste exato momento! Seja um! Através da aceitação você se torna um, não através da luta. Aceite o mundo, aceite o corpo, aceite tudo que é inerente a ele. Não crie um centro diferente em você mesmo, porque para o Tantra esse centro diferente não é nada além do ego. Não crie um ego. Apenas esteja consciente do que você é. Se você lutar, então o ego estará lá.“ 
 
Osho, The Book of Secrets, Capítulo #2
Para continuar lendo em inglês clique aqui
 
 
Leia mais tópicos Osho nos Destaques do Mundo do Osho.
 
 
Para encontrar mais Citações do Osho sobre o Tantra ou qualquer outro assunto pelo qual você possa estar interessado, você pode visitar a Biblioteca Online Osho. Esta biblioteca grátis contém mais de 225 livros do Osho que podem ser lidos ou procurados por palavras-chave ou frases.