Quantcast

About Meditation? Existem tantas técnicas de meditação diferentes. Elas têm algum fundamento comum? -

Existem tantas técnicas de meditação diferentes. Elas têm algum fundamento comum? -

<< Back

Há cento e doze métodos de meditação, mas o testemunhar é uma parte essencial de todos os cento e doze métodos. Portanto, por mim, testemunhar é o único método. Estes cento e doze são diferentes aplicações do testemunhar.

O núcleo essencial, o espírito da meditação é de aprender como testemunhar. Você está vendo uma árvore: você está aí, a árvore está aí, mas não pode você encontrar alguma coisa mais? – que você está vendo a árvore, que há uma testemunha em você que está vendo você ver a árvore. O mundo não está só dividido em objeto e sujeito. Existe também algo além de ambos, e esse além é meditação.

Então em cada ato... e não quero que as pessoas fiquem sentadas por uma hora ou por meia hora pela manhã ou à noite. Esse tipo de meditação não vai ajudar, pois se você meditar por uma hora, então por vinte e três horas você estará fazendo justo o oposto disso. Meditação pode ser vitoriosa: testemunhar é um método tal que pode espalhar-se pelas vinte e quatro horas de seu dia.

Comendo, não fique identificado com o comedor. A comida está aí, o comedor está aí, e você está aqui, observando. Caminhando, deixe que o corpo caminhe, mas você simplesmente observa. Lentamente, você pega o jeito. Isso é um jeito, e uma vez que você pode observar coisas pequenas... Um corvo cocoricando... você está escutando. Estes são dois – o objeto e o sujeito – mas não pode você ver uma testemunha que está vendo a ambos? O corvo, o escutador e ainda alguém observando ambos. Isso é um fenômeno tão simples. Depois você pode mover-se para camadas mais profundas: você pode observar seus pensamentos; pode observar suas emoções, seus humores.

Não há necessidade de dizer: “Estou triste.” O fato é que você é uma testemunha de que uma nuvem de tristeza está passando por você. Há raiva – você pode simplesmente ser uma testemunha. Não há necessidade de dizer: “Estou com raiva.” Você nunca fica raivoso, não há como você ficar raivoso; você sempre é uma testemunha. A raiva vem e vai; você é só um espelho. Coisas chegam, são refletidas e vão – e o espelho permanece vazio e claro, não arranhado pelos reflexos.

Testemunhar é encontrar seu espelho interno. Uma vez este encontrado, milagres começam acontecer. Quando você estiver simplesmente testemunhando os pensamentos, pensamentos desaparecem. Então subitamente há um imenso silêncio que você jamais conheceu. Quando você observa os humores – raiva, tristeza, felicidade – estes subitamente desaparecem e um silêncio ainda maior é experienciado.

Quando não houver nada para observar – então a revolução. Assim a energia da testemunha volta-se para si mesma pois não há nada para impedi-la, não restou nenhum objeto. A palavra objeto é bela. Esta simplesmente significa aquilo que lhe impede, que lhe objeta. Quando não há qualquer objeto para seu testemunhar, esse simplesmente volta-se para si mesmo – para a fonte. Este é o ponto onde a pessoa torna-se iluminada.

Meditação é só um caminho: o fim é sempre o estado búdico, iluminação. Conhecer este momento é conhecer tudo. Então não há nenhuma miséria, nenhuma frustração, nenhuma inexpressividade. Dessa forma a vida não é mais um acidente. Esta torna-se parte desse cosmo inteiro – uma parte essencial, e surge um imenso êxtase de que toda essa existência precisa de você.


Osho: Light on the Path, Chapter 1

<< Back