Quantcast

OSHO Times Body Dharma A Dieta do Meditador

A Dieta do Meditador

O homem é a única espécie cuja dieta não é previsível. A dieta de todos os outros animais é correta. As necessidades físicas básicas deles e sua natureza decidem o que eles devem ou não comer; a quantidade que eles devem ou não comer, quando devem comer e quando devem parar de comer. Mas o homem é completamente imprevisível, ele é absolutamente incerto. Nem sua natureza lhe diz o que ele deve comer, nem sua consciência lhe diz a quantidade que ele deve comer, nem seu entendimento decide quando ele deve parar de comer.

Como nenhuma dessas qualidades do homem são previsíveis, a vida dele seguiu direções muito incertas. Porém, se houver mesmo um pouco de entendimento – se o homem começar a viver com alguma inteligência, com um pouco de reflexão, abrindo um pouco seus olhos – então não é absolutamente difícil mudar para uma dieta apropriada. É muito fácil, não pode haver nada mais fácil. Para entender a dieta correta, vamos dividir em duas partes.

A primeira coisa: o que o homem deve comer e o que ele não deve comer? O corpo do homem é feito de elementos químicos. Todo o processo do corpo é muito químico. Se o álcool for ingerido pelo homem, então seu corpo será afetado pela química – ele ficará intoxicado, inconsciente. Por mais saudável que seja, por mais pacífico que o homem possa ser, a química da intoxicação afetará seu corpo. Por mais santo que o homem seja, se lhe for dado veneno, ele irá morrer.

Qualquer alimento que leve o homem para algum tipo de inconsciência, algum tipo de excitação, algum tipo de extremidade, algum tipo de perturbação, é prejudicial. E o maior, o dano mais profundo é quando essas coisas alcançam o umbigo.

Talvez você não esteja cônscio que na naturopatia por todo o mundo, sacos de lama, comida vegetariana, comida leve, tiras de pano embebidas com água e banheiras estão sendo usadas para curar o corpo. Mas nenhuma naturopatia ainda entendeu o ponto que o efeito das tiras embebidas em água, sacos de lama, ou das banheiras sobre o corpo não é tanto devido às qualidades especiais delas, mas por causa de como elas afetam o centro do umbigo. E assim, o centro do umbigo afeta o resto do corpo. Todas essas coisas – a lama, a água, a banheira – afetam a energia dormente no centro do umbigo e quando essa energia surge, a saúde começa a aparecer na vida da pessoa.

Todavia, a naturopatia ainda não está ciente disso. A naturopatia acha que talvez esses efeitos benéficos estão vindo dos sacos de lama ou dos banhos nas banheiras ou das tiras embebidas sobre o estômago! Eles trazem benefícios, mas os benefícios reais estão vindo do despertar da energia nos centros adormecidos do umbigo.

Se o centro do umbigo for maltratado, se uma dieta errada, uma comida errada for utilizada, então vagarosamente, o centro do umbigo se torna dormente e sua energia fica enfraquecida. Bem lentamente, esse centro começa à adormecer. Finalmente, ele praticamente vai dormir. Desse maneira, nós sequer o percebemos como um centro.

Assim, percebemos somente dois centros: um é o cérebro aonde pensamentos estão constantemente se movendo e o outro é um pouco do coração onde as emoções estão se movendo. Mais fundo que isso não temos nenhum contato com coisa alguma. Dessa maneira, quanto mais leve for a comida, menor o peso que ela cria sobre o corpo, mais valiosa e significante ela será para o início de sua jornada interior.

Para uma dieta adequada, a primeira coisa a lembrar é que ela não deve criar excitação, ela não deve ser tóxica, ela não deve ser pesada. Depois de comer adequadamente você não deve se sentir pesado e sonolento. Mas talvez, nos sintamos pesados e sonolentos após nossas refeições – assim sabemos que estamos comendo erradamente.

Algumas pessoas adoecem porque elas não ingerem comida suficiente e algumas pessoas adoecem por ingerirem muita comida. Algumas pessoas morrem de fome e outras morrem por comer demais. E o número de pessoas que morrem pelo excesso de comida tem sido sempre maior do que o número de pessoas que morrem de fome. Poucas pessoas morrem de fome. Muito poucas pessoas morrem de fome. Mesmo se um homem quiser permanecer faminto não há nenhuma possibilidade dele morrer por pelo menos três meses. Qualquer pessoa pode viver sem comida por três meses. Mas se um homem comer demasiadamente por três meses, então não haverá nenhuma possibilidade dele sobreviver.

Nossas atitudes erradas com relação à alimentação estão se tornando perigosas para nós. Elas estão provando ser muito custosas. Elas nos levaram a um ponto onde apenas estamos de alguma maneira vivos. Nossa comida não parece estar criando saúde em nós, ela parece estar criando doença. É uma situação surpreendente quando a comida começa a nos adoecer. É como se o sol que nasce pela manhã trouxesse escuridão. Isso devia ser um acontecimento igualmente estranho e surpreendente. Mas todos os médicos do mundo são da opinião de que a maioria das doenças do homem são por causa de sua dieta inadequada.

Portanto, a primeira coisa é que toda pessoa deve estar bem ciente e cônscia de sua alimentação. E estou dizendo isso especialmente para o meditador. É necessário para um meditador permanecer ciente do que ele come, quanto ele come, e quais os efeitos disso sobre seu corpo. Se um homem experimentar por alguns meses com consciência, ele irá certamente descobrir qual a comida ideal para ele, qual comida lhe dá tranqüilidade, paz e saúde. Não existem dificuldades reais, contudo, devido a que não damos nenhuma atenção à comida, nunca somos capazes de descobrir a alimentação adequada.

The Inner Journey

Osho, The Inner Journey, Discurso #3

 

Para continuar lendo, click aqui.