Quantcast

OSHO Times Body Dharma Dor Quando em Meditação

Dor Quando em Meditação

Os primeiros dias da meditação ativa tendem a endurecer os músculos, causando dor por todo o corpo. Existe alguma maneira de superar isso?

Continue praticando! Você irá superar isso.

As razões são claras. Existem duas razões. Primeiro; é um exercício vigoroso e seu corpo precisa se acostumar com isso. Então, por três ou quatro dias você irá sentir que todo o corpo está dolorido. Com qualquer exercício novo isso irá acontecer. Mas após quatro dias você irá superar isso e seu corpo se sentirá mais forte do que nunca.

Contudo isso não é muito básico. A coisa básica vai bem mais fundo, e a coisa básica é o que os psicólogos modernos tomaram conhecimento. Seu corpo não é simplesmente físico. No seu corpo, em seus músculos, na estrutura de seu corpo, muitas outras coisas penetraram através das repressões. Se você reprimir a raiva, o veneno penetra no corpo. Penetra nos músculos, penetra no sangue. Se você reprimir qualquer coisa, não é apenas uma coisa mental, é também física, porque você não está realmente dividido. Você não é corpo-mente – psicossomático. Você é ambos juntos. Assim, o que quer que seja feito com o seu corpo afeta a mente e o que quer que seja feito com a mente afeta o corpo, o corpo e mente são duas extremidades da mesma entidade.

Por exemplo, quando você fica com raiva, o que acontece ao corpo? Sempre quando você fica com raiva certos venenos são liberados no sangue. Sem esses venenos você não ficará suficientemente louco para se enraivecer. Você possui glândulas específicas no corpo e essas glândulas liberam certas substâncias químicas. Agora isso é científico, não é apenas uma filosofia. Seu sangue fica envenenado.
Eis porque quando você está zangado, você pode fazer alguma coisa que você normalmente não faria... porque você está enlouquecido. Você pode empurrar uma grande pedra: normalmente você não pode fazer isso. Você pode até nem mesmo acreditar depois que você empurrou essa pedra ou a arremessou ou a levantou. Quando você novamente voltar ao normal, você não será capaz de levantá-la de novo porque você não é mais o mesmo. Certas substâncias químicas estavam circulando no sangue. Você estava numa situação de emergência; sua energia total foi ativada.

Mas quando um animal fica zangado, ele se zanga. Ele não possui nenhuma moralidade quanto a isso, nenhum ensinamento quanto a isso. Ele simplesmente se zanga e a raiva é liberada. Quando você se zanga, você fica zangado de uma maneira similar a qualquer animal. Mas então há sociedade, moralidade, etiqueta e mil outras coisas. Você tem que segurar a raiva. Você precisa mostrar que você não está raivoso, você precisa sorrir – um sorriso pintado! Você tem que criar um sorriso, e você esconde a raiva. O que está acontecendo ao corpo? O corpo estava pronto para lutar – para lutar ou para fugir, para escapar do perigo, para enfrentá-lo ou para fugir dele. O corpo estava preparado para fazer algo: a raiva é apenas uma preparação para fazer alguma coisa. O corpo estava preparado para agir com violência, com agressividade.

Se você pudesse agir com violência e agressividade, então a energia seria liberada. Mas você não pode – isso não é conveniente, então você reprime. Desse modo o que irá acontecer com todos esses músculos que estavam prontos para agir com agressividade? Eles ficarão estropiados. A energia os prepara para serem agressivos e você os empurra de volta para não serem agressivos. Haverá um conflito. Em seus músculos, em seu sangue, nos tecidos do seu corpo, haverá um conflito. Eles estão prontos para expressar alguma coisa e você os está impedindo de expressar. Você está reprimindo-os. Desse modo seu corpo fica aleijado.

Isso acontece com toda emoção. E isso continua dia após dia por anos. Assim, seu corpo fica todo deformado. Todos os nervos ficam estropiados. Eles não estão mais fluindo, eles não estão líquidos, eles não estão vivos. Eles se tornaram mortos, eles ficaram envenenados. E eles se tornaram embaraçados. Eles não são naturais.

Olhe para o animal e veja a graça do corpo. O que acontece ao corpo humano? Porque não é tão gracioso? Porque? Todo animal é tão gracioso: porque o corpo humano não é tão gracioso? O que aconteceu com ele? Você fez alguma coisa com ele: você o esmagou e a espontaneidade natural de seus fluidos se foi. Ele ficou estagnado. O veneno está espalhado por todo o seu corpo. Em cada músculo de seu corpo existe raiva reprimida, sexualidade reprimida, ambição reprimida e tudo mais – ciúmes e ódio reprimidos... Tudo está reprimido. Seu corpo está realmente enfermo.

Então quando você começa a meditar, todos esses venenos são liberados. E onde quer que o corpo tenha estagnado, isso terá que ser dissolvido, ficará líquido novamente. E isso é um grande esforço. Após quarenta anos vivendo de uma maneira errada, então subitamente, meditando... todo o corpo está numa convulsão. Você irá se sentir dolorido por todo o corpo. Mas essa dor é boa e você precisa aceitá-la com boas vindas. Permita que o corpo se torne novamente fluido. Novamente ele ficará gracioso e infantil; novamente você irá obter a vivacidade. Mas antes que essa vivacidade chegue até você, as partes mortas precisam ser arrumadas e isso será um pouco doloroso.

Os psicólogos dizem que nós criamos uma armadura ao redor do corpo e que essa armadura é o problema. Se lhe for permitido total expressão quando você ficar com raiva o que você fará? Quando você se zanga, você começa a comprimir os dentes juntos; você quer fazer alguma coisa com as suas unhas e com as suas mãos porque é assim que sua herança animal se comporta. Você quer fazer alguma coisa com suas mãos, destruir algo.
Se você não fizer alguma coisa seus dedos ficarão deformados; eles perderão a graça, a beleza. Eles não serão membros vivos. E o veneno está lá presente. Então quando você cumprimenta alguém com as mãos, realmente não há nenhum contato, nenhuma vida, porque suas mãos estão mortas.

Você pode sentir isso. Toque as mãos de uma criança – há uma sutil diferença. Quando a criança realmente dá a mão dela pra você... se ela não está dando, então está bem, ela irá retirá-la. Ela não lhe dará uma mão morta, ela simplesmente a retira. Mas se ela realmente quiser lhe dar a mão, então você irá sentir a mão dela como se estivesse dissolvendo-se em sua mão. O calor, o fluido... como se toda a criança estivesse na mão. No próprio toque ela expressa todo o amor que é possível expressar. Mas a mesma criança quando crescida irá dar a mão como se fosse um instrumento morto. Ela não virá junto com a mão, ela não fluirá através da mão. Isso aconteceu porque existem bloqueios.
A raiva está bloqueada... Realmente, antes que sua mão se torne viva novamente para expressar amor, ela terá que passar através da agonia, ela terá que passar através de uma profunda depressão da raiva. Se a raiva não for liberada, essa raiva fica bloqueando e o amor não pode surgir dela.

Todo seu corpo ficou bloqueado, não somente suas mãos. Assim você pode abraçar alguém, você pode trazer alguém para junto de seu peito, mas isso não é a mesma coisa de trazer alguém para junto de seu coração. São duas coisas diferentes. Você pode trazer alguém para junto de seu peito: isso é um fenômeno físico. Mas se você possui uma armadura ao redor de seu coração, um bloqueio de emoções, então a pessoa permanece tão distante como sempre esteve; nenhuma intimidade é possível. Contudo, se você realmente leva a pessoa junto e não houver nenhuma armadura, nenhum muro entre você e a pessoa, então o coração irá se dissolver no outro. Haverá um encontro, uma comunhão.

Seu corpo precisa liberar muitos venenos. Você ficou intoxicado e você terá dores porque esses venenos se estabeleceram. Agora estou novamente criando um caos. Essa meditação é para criar caos dentro de você para que você possa ser recuperado, para que uma nova arrumação se torne possível. Você tem que ser destruído como você é, só assim o novo pode renascer. Como você é, você está totalmente errado. Você tem que ser destruído e só então alguma coisa nova pode ser criada. Haverá sofrimento, mas esse sofrimento é valioso.

Portanto, continue fazendo a meditação e deixe que o corpo tenha dores. Permita ao corpo não resistir, permita que o corpo mova-se nessa agonia. Essa agonia procede de seu passado, mas irá passar. Se você estiver preparado, isso irá passar. E quando isso passar, então pela primeira vez você terá um corpo. Agora mesmo você só tem uma prisão, uma cápsula, algo morto. Você está encapsulado; você não possui um corpo ágil, vivo. Até mesmo os animais possuem corpos mais bonitos, mais vivos do que vocês.

Por sinal, isso é porque nos tornamos tão obcecados com roupas – devido a que não vale a pena mostrar o corpo. Nos tornamos tão obcecados com roupas! Sempre que você fica despido você vê o que você fez ao seu corpo. As roupas escondem seu corpo de você.
Essa tem sido minha experiência através de tantos campos de meditação: se algumas pessoas ficam despidas nos campos, realmente estas pessoas são aquelas que possuem belos corpos; assim, elas não ficam assustadas. Aqueles que possuem corpos feios chegam e reclamam, e eles dizem, “Isso não é bom, as pessoas ficam nuas!” O medo delas é natural. Elas não estão realmente assustadas devido à nudez dos outros, elas estão com medo de si mesmas; elas não podem encarar seus próprios corpos.

Essa doença é um ciclo vicioso, porque se você não possui um corpo vivo você deseja escondê-lo, e quando você o esconde, ele se torna cada vez mais morto – porque então não há necessidade de estar alerta para ele ficar vivo.
Através de séculos de vestimentas perdemos contato com nossos próprios corpos. Se sua cabeça for cortada e você encontrar seu próprio corpo sem a cabeça, tenho certeza de que você não será capaz de reconhecer de que esse é o seu corpo ou você será capaz de reconhecê-lo? Você não será capaz de reconhecê-lo porque você não está nem mesmo familiarizado com o seu próprio corpo. Você não tem nenhum sentimento com relação ao corpo; você está simplesmente vivendo nele sem nenhum cuidado com ele.

Temos tratado nossos corpos com muita violência. Dessa forma, nessa meditação caótica estou forçando seus corpos a reviverem novamente. Muitos bloqueios serão quebrados; muitas coisas estabelecidas se tornarão não estabelecidas novamente; muitos sistemas se tornarão novamente líquidos. Haverá sofrimento, mas dê boas-vindas a isso. É uma bênção, e você irá superar. Continue! Não há necessidade de pensar no que fazer. Você simplesmente continua a meditação. Tenho visto centenas e centenas de pessoas passando pelo mesmo processo. Dentro de poucos dias o sofrimento passa. E quando a dor se vai, você terá uma alegria sutil ao redor de seu corpo.
Você não pode tê-la agora mesmo devido à dor que está presente. Você pode ou não estar cônscio disso, mas a dor está por todo o seu corpo. Você simplesmente ficou inconsciente disso porque ela sempre tem estado com você. O que quer que esteja sempre presente, você fica inconsciente disso. Através da meditação você se tornará cônscio e então a mente irá dizer, “Não faça isso; o corpo todo está sofrendo”. Não escute a mente. Simplesmente continue fazendo isso.

Dentro de um certo tempo a dor será superada. E quando a dor for superada, quando seu corpo se tornar novamente receptivo e não houver mais nenhum bloqueio, nenhum veneno ao redor dele, você terá um sentimento sutil de alegria lhe envolvendo. O que quer que você esteja fazendo ou não fazendo, você sempre irá sentir uma leve vibração de alegria envolvendo seu corpo.
Realmente, alegria simplesmente significa que seu corpo está numa sinfonia, nada mais – que o seu corpo está num ritmo musical, nada mais. Alegria não é prazer; prazer tem que ser derivado de alguma coisa. Alegria é apenas ser você mesmo – vivo, totalmente vibrante, vital. Um sentimento de uma música sutil envolvendo seu corpo e dentro de seu corpo, uma sinfonia. Isso é alegria. Você pode ser alegre quando seu corpo está fluindo, quando ele é como um rio fluindo.

Isso virá, todavia você terá que passar através do sofrimento, através da dor. Isso faz parte de seu destino porque você o criou. Mas isso passa. Se você não parar no meio, passa. Se você parar no meio, então a velha estrutura estará de volta novamente. Dentro de quatro ou cinco dias você irá se sentir ok – como você sempre foi. Cuidado com esse ok.
 

Osho, The Supreme Doctrine, Discurso #5

 

Para continuar lendo em inglês, click aqui.