Quantcast

OSHO Times Body Dharma Acessando Nossa Intuição

Acessando Nossa Intuição

Quando você está totalmente desperto, um movimento acontece: do hemisfério esquerdo do cérebro a energia se move para o hemisfério direito. Sempre que você está alerta, você se torna intuitivo. Lampejos chegam até você, lampejos do desconhecido, inesperadamente. Você pode não segui-los; então você irá perder muito.

De fato todas as grandes descobertas da ciência também procedem do hemisfério direito, não do esquerdo.

Vocês já devem ter ouvido sobre Madame Curie, a única mulher que recebeu o Prêmio Nobel. Ela estava trabalhando muito por três anos em um certo problema matemático, mas não pôde resolvê-lo. Ela trabalhava arduamente. Tentou de uma maneira e de outra, mas não teve êxito. Uma noite, cansada, exausta, ela adormeceu, e enquanto estava adormecendo, mesmo assim ela continuou tentando resolver o problema. No meio da noite, ela acordou, caminhou, escreveu a resposta em algum papel, voltou para a cama e adormeceu novamente.

Pela manhã ela encontrou a resposta sobre a mesa, mas ela não podia acreditar quem tinha feito isso. De onde essa resposta tinha vindo? Não podia ter vindo do hemisfério esquerdo do cérebro; o esquerdo tinha estado trabalhando duro por três anos. E não havia cálculos sobre o papel, somente a conclusão. Se tivesse vindo do hemisfério esquerdo haveria um processo, isso acontece passo a passo. Mas isso foi como um lampejo... O mesmo tipo de vislumbre que tinha acontecido ao menino no peito. O hemisfério esquerdo, cansado, exausto, desamparado, procurou a ajuda do hemisfério direito.

Sempre que você está numa tal situação na qual sua lógica falha, não se desespere, não perca as esperanças. Esses momentos podem provar as maiores bênçãos de sua vida: esses são os momentos que o lado esquerdo do cérebro permite ao direito ter sua vez. Então a parte feminina, a parte receptiva, lhe dá uma idéia. Se você a seguir, muitas portas serão abertas. Mas é possível que você as perca; você pode dizer: ‘Que bobagem!’

Toda a arte é como funcionar a partir do lado feminino da mente; porque o feminino está ligado com o todo e o masculino não está ligado com o todo.

O macho é agressivo, o macho está constantemente em luta; o feminino está constantemente em rendição, em profunda confiança. Dessa forma, o corpo feminino é tão belo, tão roliço. Há uma profunda confiança e uma profunda harmonia com a natureza.

Uma mulher vive em profunda entrega; um homem está continuamente lutando, zangado, fazendo isso e aquilo, tentando provar algo, tentando alcançar algum lugar. Uma mulher está feliz, não tentando alcançar lugar algum. Pergunte as mulheres se elas gostariam de ir a lua? Elas simplesmente ficarão surpresas. Para que? Qual é o sentido? Porque ter tanto trabalho? O lar está perfeitamente bem. A mulher não está interessada no que está acontecendo no Vietnam e no que está acontecendo na Korea e no que está acontecendo em Israel. Ela está no máximo interessada em saber sobre o que está acontecendo na vizinhança, no máximo interessada em saber quem se apaixonou por quem, quem fugiu com quem... em fofocas, não em política.

Vocês perdem muito em sua vida porque a cabeça prossegue falando; Ela não permite... E a única qualidade da cabeça é que ela é mais articulada, esperta, perigosa, violenta. Por causa de sua violência, ela se tornou a líder interior, e essa liderança interior tornou-se uma liderança externa para o homem. O homem dominou as mulheres no mundo externo também; a graça foi dominada pela violência.

A mente masculina é um fenômeno gerador de problemas; dessa maneira ela se apodera; ela domina. Mas bem no fundo, embora você possa alcançar o poder, você perde vida e bem lá no fundo, a mente feminina continua.

A menos que você volte para o feminino e se entregue, a menos que sua resistência e luta se torne uma rendição, você não conhecerá o que a vida real é, e o que a celebração dela é.

Mude mais e mais em direção ao hemisfério direito, torne-se mais e mais feminino, mais e mais amoroso, rendendo-se, confiando, mais e mais perto do todo. Não tente ser uma ilha; torne-se parte do continente.
 

Osho, Ancient Music in the Pines, Talk #1

Para cpntinuar lendo em inglês, click aqui.