Quantcast

Osho Books I Have Loved LIVROS QUE AMEI

LIVROS QUE AMEI

Nono... esqueci-me de dizer algo sobre Gurdjieff e seu livro All and Everything (Tudo e Todas as Coisas) — talvez porque ele seja um livro muito estranho, nem ao menos legível. Não acredito que haja algum ser vivente, exceto eu, que o tenha lido da primeira à última página. Já encontrei muitos seguidores de Gurdjieff, mas nenhum deles foi capaz de ler Tudo e de Todas as Coisas em sua totalidade.

Ele é um livro enorme, exatamente o oposto de Isa Upanishad — mil páginas. E Gurdjieff é um santo tão malandro... por favor, permitam-me esta expressão: santo malandro. Ele escreveu de tal maneira que se torna impossível lê-lo. Uma sentença pode prosseguir por páginas. Quando termina a frase, o início já foi esquecido. E ele usa palavras criadas por ele mesmo, assim como eu faço. Palavras estranhas... por exemplo, quando ele escrevia sobre kundalini, chamou-a de “kunderbuffer”. Esta era sua palavra para kundalini. Este livro é de imenso valor, porém os diamantes estão ocultos entre pedras comuns. É necessário buscar e investigar.

Li este livro não uma vez apenas, mas muitas vezes. Quanto mais o penetrava, mais o amava, pois mais podia perceber o malandro e o que ele ocultava daqueles que não deveriam conhecer. O conhecimento não é para aqueles ainda incapazes de absorvê-lo. Ele deve ser oculto do imprudente e é apenas para os que podem digeri-lo; ele só deve ser dado àqueles que estão prontos. Esse é o propósito dele escrever de um modo tão estranho. Não há livro mais estranho do que Do Todo e de todas as coisas, de Gurdjieff, e ele certamente é tudo e todas as coisas.