Quantcast

Osho Books I Have Loved LIVROS QUE AMEI

LIVROS QUE AMEI

Terceiro: um homem não muito conhecido, nem mesmo pelos seus próprios contemporâneos. Seu nome é Saraha e o livro se chama The Song of Saraha (A Canção de Saraha); este é seu título tibetano. Ninguém sabe quem a escreveu; uma coisa é certa, Saraha nunca a fez, apenas a cantava. Mas ela tem a fragrância... de que o homem sabia... de que ele alcançou. A canção não é a composição de um poeta, mas a realização de um místico. São apenas algumas linhas, mas de tal grandeza e beleza que as estrelas podem se sentir envergonhadas.

A Canção de Saraha é intraduzível. Eu a ouvi de um lama tibetano e teria gostado de ouvi-la repetidamente, mas o lama fedia tanto que precisei dizer: “Obrigado...”. Os lamas fedem porque nunca tomam banho. O mau cheiro dele — e sou alérgico a cheiros — era demais para mim, até mesmo para ouvir toda a canção! Eu estava com receio de ter um ataque de asma.

Já falei muito de Saraha; ele é a fonte original da escola do tantra.