Quantcast

Osho Osho On Topics Astrologia

Astrologia

Na astrologia, noventa e nove por cento dos astrólogos são apenas blefe. Apenas um por cento sabe que a astrologia é um assunto muito vasto, tão vasto que alguém só pode encará-la de forma hesitante.

A astrologia que eu estou falando é muito profunda. Algo essencial entre sua vida e o universo está conectado, está em uma harmonia rítmica. Nós não somos separados ou isolados, mas unidos em uma forma orgânica. A vida é um todo. O que quer que esteja acontecendo em qualquer lugar do universo também afeta o homem e vice-versa. Se pudermos entender isso corretamente, não há necessidade de viver enjaulado dentro do ego e do orgulho. Seu ego não é, mas o cosmos é. Forças muito poderosas estão operando e seu ego é absolutamente insignificante. Você é uma parte integrante deste grande mundo.

Cada criança, cada nova vida, insiste em um momento específico para a concepção e para o nascimento, ambos são interdependentes. Ela irá escolher as constelações apropriadas de acordo com o que ela quer ser, suas possibilidades inatas, qualquer que seja a forma que suas vidas passadas tenham tomado, seja qual for o motivo da sua consciência.

No momento do nascimento, a condição da mente de uma criança é exatamente como a emulsão de um negativo fotográfico, muito sensível. Quando uma criança é concebida, esta é a primeira exposição. O dia em que a criança nasce é uma segunda exposição. Estas duas exposições são registradas na mente sensível da criança, como em um filme. O mundo, como é nesse momento, é impresso sobre a criança. Isso determina simpatias e antipatias da criança durante toda a sua vida.

A primeira parte da astrologia é a camada mais externa, que não é essencial. Lá tudo é circunstancial, incerto, imprevisível. Quanto mais falamos sobre acontecimentos externos, mais há coincidência. A segunda parte é a camada média, a camada semi-essencial. Há possibilidade de transformação se a escolha certa é feita. A terceira parte é o núcleo, a essência. Ela não pode ser alterada. Quando é conhecida, a única saída é cooperar com ela.

A única coisa real é o terceira. É a quintessência de tudo. Ela pertence ao mais íntimo e está absolutamente pré-determinada. Quanto mais a pessoa se move em direção ao centro, mais perto chega do essencial, da parte pré-determinada. Como fenômenos internos, coisas começam a parecer científicas, como se fossem baseadas em uma lei definitiva. Tornam-se cada vez mais decisivas.

Entre essas duas condições, o periférico e as essenciais, na camada do meio existe um amplo espaço para efetuar mudanças, exercendo sua liberdade de escolha. Aqui, alguém com consciência fará a escolha correta e, a maneira certa, é começar a se mover em direção ao seu centro. Uma pessoa que está na escuridão da ignorância, no entanto, vai derivar para o seu destino, aceitando o que aparece em seu caminho.

Quando você vai a um astrólogo, pergunte a ele uma questão essencial, como: "Será que vou morrer infeliz ou realizado"? Isso vale a pena perguntar se ele estiver conectado com a astrologia essencial. Você geralmente pergunta ao astrólogo quanto tempo você vai viver, como se apenas viver fosse suficiente. Por que você vai viver? Para o que você viverá? O que devo tornar-me se eu viver? A astrologia pode tornar-se uma ferramenta em suas mãos apenas se você souber distinguir o essencial do não-essencial.