Quantcast

Osho Osho On Topics Krishna

Krishna

Krishna

Krishna não é um buscador. Seria errado chamar-lhe de buscador. Ele é um siddha, um adepto, um artista realizado nas artes da vida. E o que ele diz nesse estado de siddha, neste último estado da mente, pode parecer a você que seja egoísta, mas não é. A dificuldade é que Krishna tem que usar o mesmo termo linguístico "I"(eu) como você usa, mas há uma enorme diferença na conotação entre o "eu"  dele e do seu. Quando você diz " I" (eu) significa algo preso dentro do seu corpo, mas quando Krishna diz o que ele quer dizer permeia todo o cosmos. Por isso, ele tem a coragem de dizer a Arjuna: "Abandone tudo e venha se colocar aos meus pés".  Se fosse o mesmo "eu" que o seu – um prisioneiro do corpo – que seria impossível para ele dizer uma coisa como esta. E Arjuna teria se ofendido se o eu de Krishna fora tão pequeno quanto o seu. Arjuna teria imediatamente retrucado: "O que você está dizendo? Por que diabos eu deveria me entregar a você? "Arjuna teria realmente sido ferido, mas ele não estava”.

Sempre que alguém fala para outro na linguagem do ego, cria-se uma reação instantânea no ego do outro. Quando você diz algo com palavras "eu" do ego, o outro imediatamente começa a falar com a mesma línguagem. Somos hábeis em reconhecer as nuances das palavras um do outro, e nós reagimos rapidamente.

Mas o "eu" do Krishna é absolutamente livre de todos os traços de egoísmo, e por esta razão ele poderia invocar Arjuna para fazer uma clara rendição à ele. Aqui, "render-se a mim" realmente significa "rendição do todo. Entregar-se a energia primordial e misteriosa que permeia o cosmos ".

Ausência de ego acontece com Buda e Mahavira também, mas só chegou a eles após longa e dura luta e labuta. Mas não pode acontecer para a maioria de seus seguidores, porque em suas jornadas, é a última coisa por alcançar. Assim, os seguidores podem ou não podem alcançar este estado. Mas a ausência de ego vem em primeiro lugar com Krishna, para ele começa onde Buda e Mahavira terminaram. Então, quem escolhe ir com Krishna tem que possuí-lo no início. Se ele falhar, não há porque seguir a Krishna.

Você pode andar um longo caminho na companhia de Mahavira com o seu "eu" intacto, mas com Krishna você tem que soltar o seu "eu" em primeiro lugar, caso contrário você não estará indo com ele. O seu "eu" pode encontrar alguma acomodação com Mahavira, mas nenhum com Krishna. Para Krishna o primeiro passo é o último, para Mahavira e Buda o último passo é o primeiro. E é importante para você suportar essa diferença na mente, porque é uma grande diferença, e uma diferença básica nesta questão.

Osho, Krishna: The Man and His Philosophy, Talk #3

 

É realmente difícil de entender Krishna. É fácil entender que um homem deve fugir do mundo, se ele quer encontrar a paz, mas é realmente difícil de aceitar que ele possa encontrar a paz no meio da vida agitada dos negócios. É compreensível que um homem pode alcançar a pureza de espírito, se ele romper com seus apegos, mas é realmente difícil perceber que se pode permanecer desapegado e inocente no meio das relações pessoais comprometidas, que se pode manter a calma e ainda viver no centro do ciclone. Não há nenhuma dificuldade em aceitar que a chama de uma vela permanecerá acesa estável e ainda protegida dos ventos e tempestades, mas como você pode acreditar que uma vela pode continuar queimando constantemente, mesmo no meio de violentas tempestades e furacões?  Por isso, é difícil, mesmo para aqueles que estão perto de Krishna, entendê-lo.

Osho, Krishna: The Man and His Philosophy, Talk #1

 

Você não pode julgar de fora se um homem é um sábio ou tolo, porque às vezes seus atos podem ser os mesmos.

Krishna diz no Gita a Arjuna, "Luta, mas lute com entrega absoluta a Deus. Torne-se um veículo”  Agora,  render-se significa consciência absoluta, caso contrário, você não pode se render. Render-se significa deixar cair o ego e ego é a sua inconsciência. Krishna diz: " Solte o ego e em seguida, deixa-lo para Deus. Então deixe que a vontade Dele seja feita. Então tudo o que acontecer será bom ".

Arjuna argumenta. Uma vez e outra ele vem com novos argumentos diz  Arjuna : "Mas, matar essas pessoas – pessoas inocentes, se eles não fizeram nada de errado – apenas pelo reino, matar tantas pessoas, com tanta violência, tanto assassinato, tanto derramamento de sangue ... como ele pode estar certo? Ao invés de matar essas pessoas apenas pelo reino, eu gostaria de renunciar a tudo e ir para a floresta e se tornar um monge".

Agora, se você só olhar pelo lado externo, Arjuna parece ser mais religioso do que Krishna. Arjuna parece ser mais um de Gandhi do que um Krishna. Krishna parece ser muito perigoso. Ele diz: "Largue essa bobagem de ser um monge e fugir para as cavernas do Himalaia. Isso não é para você. Deixe tudo para Deus. Você não decide, fique fora  desta decisão. Você simplesmente relaxe, deixe estar, deixar acontecer e deixa-o incorporar-se em você e deixa-o fluir através de você. Então, tudo o que acontecer ... Se ele quer se tornar um monge através de você, ele vai se tornar um monge. Se ele quizer se tornar um guerreiro através de você, ele vai se tornar um guerreiro".

Arjuna parece ser mais moralista, puritano. Krishna parece ser totalmente diferente. Krishna é um Buda, um ser iluminado. Ele está dizendo: "Você não decide. Fora de sua inconsciência, tudo o que você decidir que vai estar errado, porque a inconsciência está errada. "E a pessoa tola vive na inconsciente. Mesmo se ele tentar fazer o bem, na verdade, ele só consegue fazer o mal".

Osho, The Dhammapada: The Way of the Buddha, Vol. 10, Talk # 7