Quantcast

Osho O Novo Homem

O Novo Homem

 
Eu ensino um novo homem, uma nova humanidade, um novo conceito de ser no mundo. Eu proclamo o homo novus. O velho homem está morrendo e não há mais necessidade de ajudá-lo a sobreviver. O velho homem está em seu leito de morte: Não se lamente por isso - ajude-o a morrer. Porque somente com a morte do velho, o novo pode nascer. A cessação do velho é o começo do novo.
 
Minha mensagem para a humanidade é de um homem novo. Menos que isso não servirá. Não algo modificado, não algo continuo com o passado, mas totalmente descontínuo.
 
O homem tem vivido até agora não verdadeiramente, não autenticamente; O homem tem vivido uma pseudovida. O homem tem vivido numa grande patologia, muito doente. E não há necessidade de viver nessa patologia - podemos sair da prisão, porque a prisão é feita por nossas próprias mãos. Estamos na prisão porque decidimos estar na prisão - porque acreditamos que a prisão não é uma prisão mas nosso lar.
 
Minha mensagem para a humanidade é: Chega! Despertem! Vejam o que o homem fez a si mesmo. Em três mil anos o homem lutou cinco mil guerras. Você não pode chamar essa humanidade de saudável. E somente de vez em quando um Buda tem florescido. Se no jardim apenas de vez em quando brotasse uma flor numa planta, do contrário todo o jardim permaneceria sem flores, você chamaria isso de jardim? Algo muito fundamental deu errado. Toda pessoa nasce para ser um Buda: menos que isso não irá lhe realizar. 
 
Declaro a você o seu estado búdico.
 
Mas o que saiu errado? Porque o homem tem vivido por milhares de anos numa espécie de inferno? Por milhares de anos o homem tem vivido com um conceito tal como num campo de batalha entre o mais baixo e o mais alto, o material e o espiritual, o mundano e o outro-mundano, entre o bem e o mal, entre Deus e o diabo. As conseqüências disso limitaram muito o potencial humano. 
 
Para destruir o homem, para destruir seu poder, uma grande estratégia tem sido usada - e esta é dividir o homem em dois. O homem tem vivido com o conceito de ser um materialista ou de ser um espiritualista. Tem sido dito ao homem que ele não pode ser ambos. Seja o corpo ou seja a alma - a você tem sido ensinado que você não pode ser ambos.
 
Esta tem sido a causa raiz da miséria humana. Um homem dividido contra si mesmo irá permanecer no inferno. O paraíso nasce quando o homem não está mais dividido contra si mesmo. A divisão do homem significa miséria e o homem integrado significa regozijo.
 
Até agora, a humanidade tem sido esquizofrênica - porque lhe tem sido dito para reprimir, para rejeitar, para negar muitas partes do seu ser natural. E rejeitando-as, negando-as, você não pode destruí-las - elas simplesmente vão para o subterrâneo. Elas continuam funcionando a partir do seu inconsciente; elas se tornam realmente bem mais perigosas.
 
O homem é um todo orgânico. E tudo que Deus deu ao homem tem que ser usado; nada deve ser negado. O homem pode se tornar uma orquestra; tudo que é necessário é a arte de criar uma harmonia em nosso interior.
 
Mas suas assim chamadas religiões têm ensinado a vocês caminhos de desarmonia, caminhos de discórdia, caminhos de conflitos. E quando você está lutando consigo mesmo você vai dissipando sua energia. Você permanece tolo, estúpido, ignorante - porque sem muita energia ninguém nunca é inteligente. Quando a energia transborda há inteligência. O transbordamento da energia é o que causa o crescimento da inteligência. E o homem tem vivido numa pobreza interior.
 
Minha mensagem para a humanidade é: Criem um novo homem - não dividido, integrado, completo. Buda não é completo, nem Zorba o Grego. Ambos são metade e metade. Eu amo Zorba, amo Buda. Mas quando olho no âmago mais profundo de Zorba, algo está faltando: ele não tem alma. Quando olho dentro de Buda, novamente algo está faltando: ele não tem corpo.
 
Eu ensino um grande encontro: o encontro de Zorba com o Buda. Eu ensino Zorba o Buda - Uma nova síntese. O encontro do céu com a terra, o encontro do visível com o invisível, o encontro de todas as polaridades - do homem com a mulher, do dia com a noite, do verão com o inverno, do sexo com o samadhi. Somente com esse encontro um novo homem surgirá na terra.
 
Meus sannyasins, meu povo, são os primeiros raios desse novo homem, desse homo novus.
 
A divisão interior conduziu a humanidade para um estado de suicídio. Isso só criou escravos – e escravos não podem viver realmente, eles não têm nada pelo que viver. Estão vivendo para os outros. Eles foram reduzidos à máquinas – habilidosos, eficientes, mas uma máquina é uma máquina. E a máquina não pode ter a alegria de viver. Não pode celebrar, só pode sofrer.
 
As religiões antigas acreditavam na renúncia. Renúncia tem sido uma maldição. Eu trago uma benção para vocês: Eu ensino regozijo, não renúncia. O mundo não tem que ser renunciado, pois Deus não renunciou ao mundo - porque você deveria? Deus é... porque você ficaria fora disso?
 
Viva em sua totalidade – e viver a vida na totalidade traz transcendência. Assim o encontro da terra com o céu é tremendamente belo; não há nada errado. Depois as polaridades desaparecem uma na outra e os pólos opostos se tornam complementares.
 
Mas o velho homem não era realmente humano. Ele era um humanóide, um homo mechanicus - um homem que não é realmente completo. E o homem que não é completo nunca pode ser santo.
 
O novo homem está vindo, chegando, todos os dias. Ele é uma minoria, é natural - mas os novos mutantes chegaram, as novas sementes chegaram. E este século, o fim desse século, verá ou a morte de toda a humanidade ou o nascimento de um novo ser humano.
 
E tudo depende de você. Se você permanecer apegado ao velho, então o velho homem preparou de todas as maneiras cometer um grande suicídio, um suicídio universal. O velho homem está pronto para morrer; o velho homem perdeu a alegria de viver.
 
Eis porque todos os países estão se preparando para a guerra. E a terceira guerra mundial será uma guerra total. Não haverá vencedor pois ninguém irá sobreviver. Não apenas o homem será destruído mas toda a vida na terra.
 
Cuidado! Cuidado com os seus políticos - eles são todos suicidas. Cuidado com o velho condicionamento o qual divide vocês em indianos, alemães, japoneses, americanos. O novo homem tem que ser universal. Ele transcenderá todas as barreiras de raça, religião, sexo, cor. O novo homem não será nem do Ocidente nem do Oriente; o novo homem irá declarar a terra inteira o seu lar.
 
Só assim a humanidade pode sobreviver - e não apenas sobreviver - com a chegada de um novo conceito de homem...o velho é o conceito do ou um/ou outro: o novo será ambos/e. O homem tem que viver uma vida rica tanto interior como exteriormente; não há necessidade de escolha. A vida interior não é contra a vida exterior; elas são parte de um ritmo.
 
VOCÊ não precisa ser exteriormente pobre para ser interiormente rico. E se você for exteriormente rico pode ser interiormente rico também. Assim tem sido até agora - o Ocidente escolheu: ser exteriormente rico! o Oriente escolheu de outra maneira: Ser interiormente rico! Ambos estão desequilibrados. Ambos têm sofrido, ambos estão sofrendo.
 
Eu ensino a vocês riqueza total. Sejam ricos exteriormente através da ciência, e sejam ricos interiormente através da religião. E isso é o que fará de vocês um, orgânico, indivíduos.
 
O novo homem não é nenhum campo de batalha, nenhuma personalidade dividida, mas a imagem de um homem unificado, único, completamente sinérgico com a vida em sua totalidade. O novo homem incorpora uma imagem mais viável, mais mutante, uma nova maneira de ser no cosmos, uma maneira qualitativamente diferente de perceber e experienciar a realidade. Portanto, por favor, não lamente a passagem do velho. Alegre-se que o velho esteja morrendo, a noite está morrendo e o amanhecer está no horizonte.
 
Estou contente, plenamente contente, porque o homem tradicional está desaparecendo - pois a velha igreja está virando ruínas, pois os velhos templos estão desertos. Estou imensamente contente porque a antiga moralidade está caindo por terra.
 
Esta é uma crise muito grande. Se aceitarmos o desafio, esta é uma oportunidade de criar o novo. Isso nunca esteve tão maduro em nenhuma época do passado. Você está vivendo numa das mais belas épocas - porque o velho está desaparecendo ou desapareceu e um caos está criado. E somente através do caos nascem as grandes estrelas.
 
Você tem a oportunidade de criar um cosmos novamente. Essa é uma oportunidade que acontece somente de vez em quando - muito rara. Você é um afortunado de estar vivo nestes tempos críticos. Aproveite a oportunidade para criar um novo homem.
 
E para criar um novo homem você tem que começar com você mesmo.
 
O novo homem será um místico, um poeta, um cientista, tudo junto. Ele não irá olhar para a vida através das velhas divisões corroídas. Ele será um místico pois ele irá sentir a presença de Deus. Ele será um poeta pois ele irá celebrar a presença de Deus. E ele será um cientista pois ele irá pesquisar essa presença através da metodologia científica. Quando um homem for todos os três reunidos, o homem está completo. 
 
Este é meu conceito de um homem santo. 
 
O velho homem era repressivo, agressivo. O velho homem tinha que ser agressivo por que a repressão sempre traz agressão. O novo homem será espontâneo, criativo.
 
O velho homem viveu através das ideologias. O novo homem não irá viver através de ideologias, nem através de moralidades, mas através da consciência. O novo homem irá viver através da percepção. O novo homem será responsável - responsável por si mesmo e para a existência. O novo homem não será moral no velho sentido; ele será amoral.
 
O novo homem traz um novo mundo com ele. Agora mesmo o novo homem tem que ser uma minoria mutante - mas ele é portador de uma nova cultura, a semente. Ajude-o. Anuncie sua chegada aos quatro ventos; essa é minha mensagem para vocês.
 
O novo homem é aberto e honesto. Ele é transparentemente real, autêntico. Ele não será um hipócrita. Ele não irá viver através de metas: Ele irá viver aqui/agora. Ele conhecerá apenas um tempo, agora, e apenas um espaço, aqui. E através dessa presença ele conhecerá o que Deus é.
 
Regozije-se! O novo homem está chegando, o velho está indo. O velho já está na cruz e o novo já está no horizonte.
 
Osho, Philisophia Perennis, Volume 2 Chapter 2